quarta-feira, 28 de maio de 2014



Almas Gémeas

Muito se tem escrito sobre as almas gémeas, pouco se tem acertado. Muita fantasia existe ao redor do tema, talvez erroneamente assim chamadas, porque elas são na verdade fractais de alma.
Raramente duas almas gémeas se encontram numa vida. Apenas seres muito evoluídos, como por exemplo Sri Aurobindo, a Mãe e outros, tinham consciência que algures no mundo havia uma sua alma gémea.
No princípio, antes da nossa caminhada na matéria, nós somos uma Mônada.
Uma Mônada é energia em estado puro.
Essa energia, para poder evoluir para patamares ainda mais além, tem que experienciar, ou seja, tem que ganhar Consciência.
Então o que essa Mônada faz é projectar-se na matéria, não necessariamente aqui na Terra, e não necessariamente na 3ª dimensão.
Ao projectar-se na matéria essa Mônada subdivide-se em partículas, os fractais de alma.
Esses fractais podem estar alguns na Terra na 3ª dimensão, ou noutras dimensões da Terra, como por exemplo os Centros Intraterrenos, noutros planetas deste Universo, Teta, o nosso Universo local, ou em Negadon, o Universo onde se insere Teta.
À medida que o Ser vai ganhando experiência, e depois de abrir o centro cardíaco, e activar a Chama Trina, vai começando a entrar no processo ascensional, que é uma mudança vibracional.
Portanto, no início o Ser faz um mergulho na matéria para depois, ao ascencionar, fazer o caminho de volta. Daí se dizer que o Caminho é sempre individual.
Nesse processo ascensional o Ser vai começando a reunir e a integrar, os fractais de alma, até à integração completa e ascensão na Mônada, ou até na Supra Mônada.
Aí ele está livre do processo encarnacional e pode então regressar a casa, integrando-se no seu corpo criogénico.
No entanto, se for esse o seu desejo, ele pode voltar a encarnar, mas agora porque ele assim quer, por exemplo, para realizar algum trabalho, e não por estar preso na Roda das encarnações, e consequentemente na Barreira de Frequência da Terra.
Esta é mesmo a única maneira de se poder sair daqui, ascensionado e passando a Barreira de Frequência.
Daí a importância de activarmos o chacra cardíaco.
Quando entramos na frequência do coração passamos a tentar controlar o Ego e as nossas formas pensamento. Vamos deixando de nos reger pelas questões de poder e do Ego, representadas pelo plexo solar, saindo da Matrix de Control e entrando na vibração de Amor do coração.
Quando o chacra cardíaco abre, activa-se o nosso número, que está inserido na Chama Trina no ventrículo esquerdo do coração.
Então é aí que passamos a ser rastreados e acompanhados pelas Hostes Celestiais, ou seja, passamos a poder vir a ser uma mais valia para as Hierarquias de Luz, para a Operação Resgate e o Salto Quântico.

Gi S.G.

1 comentário:

Luís disse...

Olá
Achei o artigo muito interessante e fiquei com curiosidade de saber mais sobre o assunto. Poderá indicar algumas fontes ou livros para consulta? Procuro informação sobre o tema da dualidade e do casal alquímico.
Obrigado